lunARES

E mais uma LUA MINGUA

E mais um amor se esVAI

E mais um ciclo se FECHA

Vou chorar minhas mÁGUAS da LUA

 

Mas pode TER certeza

Renovo minha esperança com a NOVA

Tendo JUNTO à ela

um AMOR que CRESCE.

 

E que igual À LUA,

Se ENCHE,

TRANSBORDA,

e não ACABE.

 

SEM TER FIM

Brunna Balbino

13389278_1022343721183920_2005898489_o
[Pamonha – 2016]
Quando Couber
Alegria, por favor vá embora,
a minha alma chora.
Deixe-a chorar.
Deixe-a se lamentar,
até a fonte de lágrimas secar.
Pois só assim terei espaço pra você.
Mas, não precisa se preocupar,
quando eu esvaziar
mando a Esperança te buscar.
Vou até cantarolar,
pra que nesse dia
você não se perca no caminho.
E ai sim Alegria, por favor retorne em mim.
Poema de Brunna Curupira
Pintura de Riquelme Henrique B. da Silva

Aus^ncia

O meu coração esta deprimido
Cheio de mágoa e de dor
O meu coração esta tão vazio
De alguém que não o amou
As vezes doí, as vezes não
Por vezes não
As vezes grita e chora em vão
Ainda não sei o que fazer
O que fazer?
Pra curar ele dá dor
Pois a pessoa que o feriu
Que o feriu
Se distanciou…
No entanto, eu pensei
Isso eu sei
Onde a ferida se instalou
Foi na presença desse alguém
Esse alguém
Que intalou meu coração
Com sua ausência de amor
As vezes doí, as vezes não
Por vezes não
As vezes grita e chora em vão
Pois a pessoa que o feriu
Que o feriu
Nunca mais voltou
Ela se distanciou
Foi embora e me deixou
Brunna Balbino

Poesias Encantadas #2

Por: Brunna Curupira
O sabiá
Vivia a cantarolar
procurando ú, seu amor
Ele tanto procurou
que um dia encontrou
(suspiro)
um canto
que correspondia ao seu
😮
Mas foi uma pena
Foi um lamento!
Quando ele chegou perto
ela estava caída ao chão
Por uma peeedra
do estilingue
De um menino traquino
que mal sabia o seu crime
E, ele choroooou
Por seu amooor
E ficou a vagar
Sem mais cantarolaaaaaaaaaar
Até pousar
Num fio de alta tensão
cla cla cla BOOOMMMM.
E como o seu AMooor
Caiu ao chão
sabia-72

Medo…

Morte…

Qual o gosto da morte?

E da tortura?

O da morte se bem temperado e assado,

Até que vai.

E o da tortura?

… Ai a tortura…

Ela é doce!

Derrete na boca

em um orgasmos oral.

Como é mastigar alguém?

Chupar seu ossos?

Como é beber a sua dor,

o seu lamento,

o seu pus

puts!

Brunna Balbino